Uma das plantas medicinais nativas mais conhecidas e com maior potencial terapêutico, se tratando de doenças respiratórias, é o Guaco. De nome científico Mikania glomerata, o guaco se tornou muito conhecido por seu efeito contra gripe, rouquidão, infecção na garganta, tosse e bronquite. Dependendo de região pode ser conhecido por  guaco-de-cheiro, guaco-liso, guaco-trepador, uaco, cipó cabeludo, cipó catinga, coração-de-jesus, erva-das-serpentes, erva-de-cobra, erva-de-sapo, entre outros.

O guaco é normalmente lembrado no inverno, quando aumenta a incidência de problemas respiratórios, por conta do numero de casos de gripes e resfriados que ocorrem nessa época do ano, mas pode ser utilizado em casos de alergias e infecções. Os principais ativos encontrados no guaco são seus óleos essenciais, compostos por di e sesquiterpenos; Os taninos e aponinas; Resinas; Guasina (substância amarga); Cumarinas, que possuem odor forte e característico de baunilha e possui ação antibiótica, broncodilatadora, fungicida, anticoagulante,vasodilatadora, espasmolítica e antitrombótica; E o Guacosídeo. Podem ser utilizadas suas folhas secas ou frescas em forma de chá por infusão e como xarope.

Para preparar o xarope de guaco, são usadas 10 folhas de guaco, 1 xícara de açúcar, 1 litro de água fervente e mel a gosto para homogeneizar. Em uma panela funda deve ser caramelizado o açúcar e quando começar a dourar a calda, colocar a água fervente. Em seguida adicionas as folhas de guaco, que podem ser anteriormente amassadas ou não, e mexer bem até desmanchar bem o açúcar. Quando desmanchar, a panela deve ser tampada e fervida por até 20 minutos, para que as folhas de guaco amoleçam. Após as folhas amolecerem, deixar esfriar e coar. O preparado que está coado, deve ser misturado com mel até que fique com aspecto homogêneo.

O chá de guaco, também pode ser preparado por infusão a partir de suas folhas secas ou frescas. Seguindo a proporção de 10 folhas de guaco para 1 litro de água.

cha de guaco

O guaco não possui efeitos colaterais se usado sem exageros, a recomendação é que não passe dos 100 dias de uso, tanto o chá de guaco quanto o xarope. Doses excessivas podem levar a hemorragias, náuseas e vômitos. O guaco é contraindicado para  crianças menores de um ano e em mulheres grávidas, pelo risco de hemorragias. Diabéticos devem evitar o uso do xarope açucarado.

Referências

– Plantas aromáticas e medicinais – cultivo e utilização – Paulo Guilherme Ferreira Ribeiro e Rui Cépil Diniz . Londrina: IAPAR, 2008
– BALBACH, A. As Plantas Curam. São Paulo
– http://www.lemnisfarmacia.com.br/fitoterapia-%E2%80%93-guaco-alivia-a-tosse-bronquite-e-resfriados/

Cláudio P. Filla | Laboratory Technician UTP-PR | Químico, escreve sobre o efeito positivo dos alimentos naturais através de suas propriedades e os perigos por trás dos alimentos industrializados. Mas gosta mesmo é de compartilhar alternativas para uma vida mais saudável. Curitibano, ama um pé na terra e outro no mar, mas também a rotina cultural da cidade grande.
Carregar Mais
Carregar Mais Plantas & Ervas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA *

Veja Também

Desprezado em algumas regiões, o Caruru possui alto valor nutricional e pode ser utilizado em casos de deficiência de cálcio e vitaminas, e contra infecções.

Da família das Amarantáceas, o caruru ou bredo é uma planta silvestre comestível. É um veg…