A alopatia é o sistema de medicação mais usados nos dias de hoje. Ela visa combater as doenças por efeitos de medicamentos que produzem efeitos contrários as doenças, empregando drogas, antibióticos, vacinas, soros, etc. Se você alopatiatem uma febre, toma um remédio contra febre (antitérmico); um analgésico contra a dor; um antibiótico contra infecção. O tratamento visa principalmente a doença. Por exemplo: se o paciente tem uma erupção, usa pomada de corticoide e a erupção desaparece. Está, portanto, curado. O grande problema do uso dessas drogas é q elas possuem um principio toxico, danificando o organismo humano, afetando o aparelho digestivo, fígado, o sistema nervoso e até o coração. As doses das substâncias utilizadas na alopatia encontram-se no limite da toxidade, quase sempre produzindo efeitos colaterais ou as drogas podem tornar-se intoleráveis pelo organismo até provocarem uma intoxicação ou serem inoperantes.

Entre toda a população esses medicamentos são extremamente usados sem cautela alguma, como os analgésicos, que, podem ser comprados livremente em qualquer farmácia. É um erro usar analgésico sem controle.

Outra droga muito utilizada, de controle, porém muitas vezes usada com pouca cautela, são os antibióticos. Eles são extraídos de bolores, bacilos e plantas. Os mais comuns são a penicilina, terramicina e cloromicetina. A ação deles é de deixar inoperante a reprodução dos micróbios para então nossas defesas naturais exterminarem os micróbios presentes. O problema do uso de antibióticos, é que eles diminuem a formação de anticorpos, enfraquecendo o sistema imunológico. Além de micróbios e germes acabarem se tornando menos sensíveis aos antibióticos já usados neles anteriormente. Para pessoas mais sensíveis, é possível adquirir uma certa alergia pelo uso desse medicamento.

Dois sistemas de medicação, também muito utilizados, com menos impacto a saúde e intoxicação é a homeopatia ou a fitoterapia.

Homeopatia é uma ciência cujo princípio está baseado na cura pelos semelhantes. Quando dizemos “cura pelos semelhantes”, dizemos que o médico homeopata indica o uso de substâncias que causariam os mesmos sintomas que a doença em seu corpo, só que como a medicação é administrada homeopatiaem doses muito reduzidas, elas têm a capacidade de estimular seu organismo a buscar o equilíbrio. Nessa terapêutica é comum dizer que trata-se o doente e não a doença. Ou seja, a enfermidade é concebida como um desequilíbrio interno e dentro dos conceitos homeopáticos o especialista trata o indivíduo em sua globalidade, com a ajuda de medicamentos específicos, que são destinados a aumentar a capacidade curativa que o organismo possui. A Homeopatia não se aplica apenas a casos mais leves (como resfriados), a doenças crônicas persistentes, alergias, etc. Ela trata, também, moléstias agudas e infecções, sendo útil em queimaduras, ferimentos e em primeiros-socorros. O uso de medicamentos não substitui as práticas padronizadas de primeiros-socorros, nem os cuidados médicos apropriados. Mas é importante lembrar: a Homeopatia não faz milagres. Só cura o que for curável. Enfim, o tratamento homeopático pode ser útil, sozinho ou associado ao tratamento convencional, para todos os doentes.

A Fitoterapia é uma terapêutica que utiliza como método de cura, medicamentos que sejam compostos por ervas medicinais. Todos nós já tivemos uma indicação amiga de um tradicional chá de boldo para enjoos e dores no estômago, por exemplo. Presente em muitas tradições como método terapêutico, a Fitoterapia tem forte apoio da cultura popular em todo o mundo. Hoje, sua excelência é comprovada por estudos, e ela abrange os princípios e

técnicas da Botânica e da Farmacologia. É importante lembrar que, mesmo sendo um medicamento natural, os fitoterápicos não devem ser administrados sem orientação médica. Seu uso indiscriminado pode prejudicar a saúde. (Veja mais em: O que é Fitoterapia?)

Referências

– http://www.aph.org.br/conteudo.php?_p=32&_cnt=27
– http://www.quintessencia.com.br/faq.html
– Fitoterapia: sementes do saber / Non Shaw. São Paulo; Avatar, 1999.

Cláudio P. Filla | Laboratory Technician UTP-PR | Químico, escreve sobre o efeito positivo dos alimentos naturais através de suas propriedades e os perigos por trás dos alimentos industrializados. Mas gosta mesmo é de compartilhar alternativas para uma vida mais saudável. Curitibano, ama um pé na terra e outro no mar, mas também a rotina cultural da cidade grande.
Carregar Mais
Carregar Mais Saude

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA *

Veja Também

Glúten? Não, obrigado! Celíacos devem ficar longe de alimentos que contenham este ingrediente.

O glúten tornou-se mais popular nos últimos anos. Com certeza você já deve ter escutado al…