O processo de conservação dos alimentos já vem do período de 50.000 a.C., onde o homem caçava e coletava alimentos  havendo necessidade de armazenar alimentos, pois em alguns dias, a caça não era tão boa e em alguns períodos, os alimentos não eram abundantes. No início, o homem primitivo recolhia somente alimentos e utilizava a parte mais fria e escura da caverna para estocá-los.

As baixas temperaturas permitiram retardar ou inibiras reações químicas de deterioração natural e as atividades enzimáticas sobre os componentes dos alimentos, diminuindo ou inibindo o crescimento e as atividades dos microrganismos. Outro recurso utilizado era secar os alimentos, expondo-os ao sol. Na secagem, foi percebido que alguns frutos, mesmo depois de secos, ainda eram comestíveis e a carne durava mais tempo. A secagem retira parte da água dos alimentos, assim, os microrganismos presentes no alimento, que precisam de água para suas funções vitais não conseguem ter suas ações. A defumação é um dos mais antigos processos de conservação de alimentos, sendo utilizadas em carnes e derivados, como linguiças, toucinhos, presuntos etc. O processo consiste em expor o alimento a fumaça e ao calor por um certo tempo. A duração depende do tipo de alimento que se pretende defumar.

conservas

A fumaça, antigamente, erra obtida pela queima de madeira ou serragem, hoje ela é produzida fora do ambiente onde se encontra o alimento e conduzida por meio de tubulações. A fumaça é uma mistura de várias substancias, contendo até bactericidas, capazes de impedir o crescimento de microrganismos. Na pasteurização e a esterilização, processos utilizados na indústria que usam o calor para conservar alimentos. A pasteurização consiste na eliminação da maioria dos microrganismos presentes no alimento, expondo os alimentos a temperaturas de até 100°C. Os alimentos podem ser conservados, também,  com a utilização de sal e açúcar. Ambos são muito usados para conservação de alimentos. O sal é mais usado em carnes e derivados, enquanto o açúcar em geleias, frutas e compotas. Quando o açúcar ou sal é colocado em contato com alimentos, ocorre uma osmoseOsmose é quando á água presente nas células que compõe os tecidos animais e vegetais, atravessam a membrana celular, desidratando o alimento. Com a diminuição de água disponível, há uma diminuição nas atividades dos microrganismos. Além disso, as cozinheiras costumam utilizar algumas especiarias como cravo e canela, não só por seus sabores e aromas, mas também por serem excelentes conservantes. O cravo-da-índia contém eugenol, um poderoso antioxidante que conserva os alimentos. Fenóis possuem propriedades antioxidantes por ter a capacidade de doar hidrogênio para radicais livres, tornando esse radical estabilizado por ressonância. A canela, por sua vez, contém além do eugenol, o cinamaldeído, um bom conservante e aromatizante, além de apresentar excelente atividade fungicida e inseticida.

Cláudio P. Filla | Laboratory Technician UTP-PR | Químico, escreve sobre o efeito positivo dos alimentos naturais através de suas propriedades e os perigos por trás dos alimentos industrializados. Mas gosta mesmo é de compartilhar alternativas para uma vida mais saudável. Curitibano, ama um pé na terra e outro no mar, mas também a rotina cultural da cidade grande.
  • Por que os alimentos estragam

    Do ponto de vista químico, o “estragar” dos alimentos nos diz muito mais do que simplesmen…
Carregar Mais
Carregar Mais Alimentos

1 Comentário

  1. […] a saúde, hoje existe uma grande discussão envolvendo os conservantes. No entanto, a pratica de conservação dos alimentos já vem sendo executada há muitos anos, mas com métodos que não envolviam aditivos químicos. A […]

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA *

Veja Também

A frutose é realmente uma vilã? Entenda o que é frutose, suas características, aplicações e seus malefícios à saúde!

A Frutose, também conhecida por levulose ou açúcar das frutas, possui alto poder adoçante …