Frequentemente encontrado em hortas e jardins, o poejo (Mentha pulegium), é comumente chamado por hortelãzinho, isso por seu aroma ser idêntico ao da hortelã. Em algumas regiões ele pode se conhecido por Erva-de-são-lourenço. O poejo é uma planta muito conhecida, principalmente, por sua propriedade medicinal, sendo utilizada no tratamento de diversas doenças como diabetes, má digestão, gripes e resfriados.

Na culinária, o poejo é ótimo para acompanhar saladas de frutas ou de legumes, pratos de carneiro, peixes, caracóis, sumos e cocktails. Além de ser amplamente utilizado para confecção de licores. Na medicina natural, o poejo possui propriedades antiespasmódicas, antissépticas, vermífugas, digestivas, antirreumáticas, cicatrizantes, anti-inflamatórias, carminativas, expectorantes, calmantes, entre outras. Seu principal principio ativo é a pulegona. Graças a sua propriedade expectorante, encontrada principalmente no chá de poejo, ele é empregado no tratamento de gripes, resfriados e tosses. Ele ajuda o organismo a expelir secreções presentes no pulmão, aliviando demais sintomas. Além de ser excelente para o sistema respiratório, o chá de poejo também é ótimo para o sistema digestivo. Pessoas que sofrem com queimação no estomago causada por azia, má indigestão, ulcera ou gastrite, também se beneficiam do uso do poejo.

poejo

Outro ponto destacado do poejo, é sua propriedade sedativa, que atua diretamente no relaxamento do corpo, sendo indicado em casos de insônia, causados por nervosismo, ou mesmo dificuldades para dormir. O chá de poejo é indicado para mulheres que sofrem com sintomas da TPM como cólicas, amenorreias e fluxos excessivos. Embora não provoque a cura completa da doença, o poejo também serve para aliviar as dores do reumatismo, aplicando compressas. Na medicina popular, o poejo também é usado em forma de lavagem para tratar catapora, urticárias, coceiras na pele, sarampo, caxumbas, sumagre-venenoso, psoríase, sarna e herpes. Outro benefício, extremamente importante, do poejo é sua eficiência como cicatrizante e anti-inflamatório, agindo diretamente em feridas, contusões, dores musculares e machucados diversos.

O poejo é contraindicado para mulheres gravidas, seu uso pode ocasionar hemorragias e o aborto. Doses excessivas de poejo podem causar vertigens e letargia, em razão da presença do borneol, uma substância com ação tóxica se consumida em doses elevadas.

Referências

– BALBACH, A. As Plantas Curam. Ed.1. São Paulo
– FRUTUOSO, V. Plantas e ervas que curam. São Paulo

Cláudio P. Filla | Laboratory Technician UTP-PR | Químico, escreve sobre o efeito positivo dos alimentos naturais através de suas propriedades e os perigos por trás dos alimentos industrializados. Mas gosta mesmo é de compartilhar alternativas para uma vida mais saudável. Curitibano, ama um pé na terra e outro no mar, mas também a rotina cultural da cidade grande.

Carregar Mais
Carregar Mais Plantas & Ervas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA *

Veja Também

Tarumã (Vitex megapotamica): propriedades fitoquímicas do popular depurativo de sangue, podendo combater o ácido úrico e a hipertensão arterial.

O Tarumã (Vitex megapotamica), também conhecido como erva-tarumã, azeitona-do-mato ou azei…