Tubérculos como a mandioca, inhame e batata são super consumidos pela grande maioria dos brasileiros. O que eles não sabem são dos benefícios gerados por essas raízes, ricas em vitaminas do complexo B e C, carboidratos complexos, minerais e ativos que ficam responsáveis por suas propriedades. Com certeza, a batata é o tubérculo mais lembrado por todos, porém é preciso dar atenção a outros tipos de raízes, que também são ricas em benefícios, como o inhame, a mandioca, a batata-doce, a cenoura, o nabo e o rabanete. Sozinhos ou combinados, são de extrema importância para o processo de produção da serotonina, redução do risco de câncer, ataques cardíacos e aumento da resistência do sistema imunológico.


ANÚNCIOS
Produção de Derivados Lácteos

Batata
As batatas são ricas em vitaminas do complexo B, atuantes na formação das células do organismo. Possuem quercetina, uma substância antioxidante que atua contra células cancerígenas. Se sua preferência for a batata do tipo inglesa, ela será rica em fosforo, vitaminas do grupo B e vitamina C, mas ela é composta praticamente por carboidratos. Se for a batata-salsa ou mandioquinha, ela será rica em fósforo, betacaroteno, vitamina A e niacina. Já se for a batata-doce, ela será rica em Ômega 3, ácidos graxos, magnésio, fósforo, potássio, sódio, zinco e vitaminas A, B, C, K e E.

Inhame
O inhame é uma excelente fonte de carboidratos, vitaminas do complexo B, minerais e de um fito-hormônio chamado diosgenina. diosgenina (um fito-hormônio muito semelhante a progesterona) e a vitamina B6 (considerada a vitamina da mulher), colaboram com o equilíbrio hormonal, ajudando a amenizar os sintomas causados pela TPM e aumentando a produção de colágeno. A diosgenina também colabora na diminuição do colesterol ruim e no aumento do colesterol bom, resultando na prevenção de uma séries de doenças cardíacas.

A mandioca por sua vez, mesmo que seja um alimento rico em carboidratos, também é rico em fibras, fazendo com que os carboidratos sejam transformados em energia mais lentamente. Ela ajuda a saciar a fome e regula o intestino. Além disso, é fonte de licopeno e betacaroteno.

Já o rabanete, é rico em enxofre. O enxofre presente no rabanete auxilia no aumento do fluxo da bílis, mantendo a vesícula biliar e fígado saudáveis e melhorando na digestão. Outros compostos que podem ser encontrados no rabanete são os glicosídeo sulfurados (que possuem diversos benefícios, inclusive contra o câncer), além de vitaminas A, B e C. O rabanete também é rico em outros minerais como o fósforo, ferro, sódio, silício, cloro, potássio, cálcio e magnésio.
Foto por: Alina Angenete 

Referências

– BALBACH, A. As Hortaliças na Medicina Natural – Rabanete.
– https://www.nestle.com.br/site/cozinha/enciclopedia/ingredientes/rabanete/introducao.aspx
– BOARIM, D. As Hortaliças na Medicina Natural. Ed. 1. São Paulo
– BALBACH, A. As Hortaliças na Medicina Natural. São Paulo
BemEstar:Veja as diferenças entre os tipos de batatas e para quem são indicadas.
Saude/Abril: Batata doce ou inglesa? Qual a melhor?
Natue:Batata-doce engorda ou emagrece?
Mundoboaforma: Batata baroa engorda ou emagrece?

Carregar Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Valor nutricional do feijão: rico em benefícios e nutrientes!

Presente em diversas receitas e super conhecido no prato dos brasileiros, o feijão hoje é …