Provavelmente, no ensino médio, você lembra das aulas sobre pH, ou potencial de hidrogênio, não é? O índice de pH determina se uma substância (geral) é ácida ou alcalina. A partir desse ponto, definiram um novo tipo de dieta, classificada como dieta alcalina que, antes de chegar ao público, foi descoberta por diversas celebridades. A dieta alcalina é um plano alimentar no qual os alimentos ácidos são consumidos em pequenas quantidades, devido a ação deles que com o tempo deixam o pH do organismo mais ácido. Estudo relacionados a alimentação ácida/básica, mostraram que para que o organismo funcione de maneira adequada, é preciso manter um pH alcalino (em torno de 7,35), o que permite uma boa oxigenação e nutrição das células e tecidos. Porém, a maioria das reações que ocorrem no corpo geram substâncias ácidas que, somadas aos resíduos ácidos gerados pelos alimentos, causam um baixo grau de acidose metabólica. Vale frisar bem,  que a dieta alcalina não se trata de uma dieta restritiva, na qual só alimentos alcalinos serão consumidos, mas sim de um equilíbrio entre a ingestão de comidas alcalinas e ácidas, com moderação. Uma proporção adequada é ingerir cerda de 60% de alimentos alcalinos e 40% de alimentos ácidos.


PUBLICIDADE

Como funciona a dieta alcalina?

Ao iniciar a dieta, o consumo de alimentos que acidificam o organismo, que além de serem ricos em aditivos químicos (industrializados), ajudam a dificultar a absorção de nutrientes e a eliminação de toxinas. Alguns desses alimentos são o açúcar refinado, carne vermelha, trigo, amido, laticínios, refrigerantes e alimentos industrializados em geral. Frutas que sejam ácidas, como o limão por exemplo, não podem e nem devem ser retiradas do cardápio, isto porque elas possuem substâncias e nutrientes que ajudam na alcalinização. É curioso comentar, mas o limão (considerado uma fruta super ácida por muitos) atua como um alcalinizante ao ser ingerido. O ideal é manter equilíbrio na ingestão desses alimentos e eliminar/evitar apenas o consumo excessivo dos industrializados. Quem deseja iniciar a dieta alcalina, pode incluir no cardápio as verduras, todas as frutas (inclusive as ácidas), legumes, alimentos integrais (como quinoa e aveia), oleaginosas (como castanhas e amêndoas), leguminosas (como feijão, grão-de-bico, lentilha e soja), sementes (como gergelim e semente de abóbora), tubérculos (inhame e batata-doce), cogumelos, chás, óleo de peixe (ômega-3), algas marinhas, óleo de coco, azeite de oliva, água de coco, água com pH alcalino e vinagre de maçã.

Dieta alcalina x emagrecimento

Apesar de este não ser o seu principal objetivo, este tipo de dieta pode ajudar no emagrecimento, pois incentiva a ingestão de alimentos integrais, frutas, legumes e verduras, melhorando o funcionamento geral do organismo, o que acelera o metabolismo e faz com que a queima de gorduras seja mais eficaz. Além disso, os alimentos indicados para a dieta alcalina são fitoquímicos e antioxidantes, que diminuem o risco de certos tipos de cânceres e combatem o envelhecimento precoce.
Foto por: Meal Makeover Moms

Referências

– NatueLife: A Dieta Alcalina.
– LuciliaDiniz: Conheça a dieta alcalina.
– Revista Viva Saúde: Tudo sobre dieta alcalina.

Carregar Mais
Carregar Mais Dietas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Vitaminas do complexo B: possuem importante papel no processo metabólico

Para suprir as necessidades diárias de vitaminas, nós dependemos da ingestão regular de al…