Provavelmente, no ensino médio, você lembra das aulas sobre pH, ou potencial de hidrogênio, não é? O índice de pH determina se uma substância (geral) é ácida ou alcalina. A partir desse ponto, definiram um novo tipo de dieta, classificada como dieta alcalina que, antes de chegar ao público, foi descoberta por diversas celebridades. Se trata de um plano alimentar no qual os alimentos ácidos são consumidos em pequenas quantidades, devido a ação deles que com o tempo deixam o pH do organismo mais ácido.

Para que serve a dieta alcalina?

Estudo relacionados a alimentação ácida/básica, mostraram que para que o organismo funcione de maneira adequada, é preciso manter um pH alcalino (em torno de 7,35), o que permite uma boa oxigenação e nutrição das células e tecidos. Porém, a maioria das reações que ocorrem no corpo geram substâncias ácidas que, somadas aos resíduos ácidos gerados pelos alimentos, causam um baixo grau de acidose metabólica. Vale frisar bem,  que a dieta alcalina não se trata de uma dieta restritiva, na qual só alimentos alcalinos serão consumidos, mas sim de um equilíbrio entre a ingestão de comidas alcalinas e ácidas, com moderação. Uma proporção adequada é ingerir cerda de 60% de alimentos alcalinos e 40% de alimentos ácidos.

Como funciona a dieta alcalina?

Ao iniciar a dieta, o consumo de alimentos que acidificam o organismo, que além de serem ricos em aditivos químicos (industrializados), ajudam a dificultar a absorção de nutrientes e a eliminação de toxinas. Alguns desses alimentos são o açúcar refinado, carne vermelha, trigo, amido, laticínios, refrigerantes e alimentos industrializados em geral. Frutas que sejam ácidas, como o limão por exemplo, não podem e nem devem ser retiradas do cardápio, isto porque elas possuem substâncias e nutrientes que ajudam na alcalinização.

Quais alimentos são permitidos na dieta alcalina?

É curioso comentar, mas o limão (considerado uma fruta super ácida por muitos) atua como um alcalinizante ao ser ingerido. O ideal é manter equilíbrio na ingestão desses alimentos e eliminar/evitar apenas o consumo excessivo dos industrializados. Quem deseja iniciar a dieta alcalina, pode incluir no cardápio as verduras, todas as frutas (inclusive as ácidas), legumes, alimentos integrais (como quinoa e aveia), oleaginosas (como castanhas e amêndoas), leguminosas (como feijão, grão-de-bico, lentilha e soja), sementes (como gergelim e semente de abóbora), tubérculos (inhame e batata-doce), cogumelos, chás, óleo de peixe (ômega-3), algas marinhas, óleo de coco, azeite de oliva, água de coco, água com pH alcalino e vinagre de maçã.

A dieta alcalina emagrece?

Apesar de este não ser o seu principal objetivo, este tipo de dieta pode ajudar no emagrecimento, pois incentiva a ingestão de alimentos integrais, frutas, legumes e verduras, melhorando o funcionamento geral do organismo, o que acelera o metabolismo e faz com que a queima de gorduras seja mais eficaz. Além disso, os alimentos indicados para a dieta alcalina são fitoquímicos e antioxidantes, que diminuem o risco de certos tipos de cânceres e combatem o envelhecimento precoce.
Foto por: Meal Makeover Moms

Referências

NatueLife: A Dieta Alcalina.
LuciliaDiniz: Conheça a dieta alcalina.
– Revista Viva Saúde: Tudo sobre dieta alcalina.

Carregar mais
Load More In Dietas

Veja também

Benefícios da Alcachofra: além de ajudar no controle do colesterol, é diurética e atua contra a má digestão.

Uma planta nativa da região mediterrânea, introduzida no Brasil por imigrantes italianos n…