A goma-guar é uma fibra retirada do endosperma da planta Cyamopsis tetragonolobus. Na indústria alimentícia, ela é largamente usada como espessante de iogurtes e sorvetes, cápsulas de medicamentos, lubrificante de brocas e até invólucro de bananas de dinamite. Já na medicina natural, suas sementes são utilizadas para abaixar níveis de colesterol, especialmente lipoproteínas de baixa densidade e glicose no sangue.

A goma-guar é composta, principalmente, por polissacarídeos hidrofílicos de alto peso molecular constituídos por D-galactosa e D-manosa. Ela ajuda a reduzir os níveis de colesterol, a incidência de doenças cardíacas, a quantidade de gordura dos alimentos digeridos e a velocidade da absorção de carboidratos. Após ser ingerida, a goma-guar tende a aumentar a viscosidade do alimento no estômago, dando uma sensação de saciedade por mais tempo. Assim, a goma-guar atua no organismo como um excelente emagrecedor, prevenindo a diabetes e a obesidade.

Em alimentos, a goma-guar pode ser adicionada em produtos de panificação ou lácteos, como queijos, iogurtes e mousses, ela pode ser aplicada para que não aconteça a perda da água do alimento, o que resultaria em uma comida sem textura, dura e seca, além de impedir a formação de cristais de gelo e a separação dos ingredientes.

Na literatura pesquisada não foram expostas contraindicações quanto ao uso da goma-guar. Porém, se consumida em excesso pode causar gases, náuseas e inchaços intestinais. É importante sempre  consumi-la com bastante água.

Referências

– Araújo, Júlio Maria A.  Química de Alimentos.
– http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/goma-guar.html
– http://revistapesquisa.fapesp.br/2001/10/01/as-doces-sementes-do-cerrado/

Cláudio P. Filla | Laboratory Technician UTP-PR | Químico, escreve sobre o efeito positivo dos alimentos naturais através de suas propriedades e os perigos por trás dos alimentos industrializados. Mas gosta mesmo é de compartilhar alternativas para uma vida mais saudável. Curitibano, ama um pé na terra e outro no mar, mas também a rotina cultural da cidade grande.
Carregar Mais
Carregar Mais Alimentos

1 Comentário

  1. […] estabilizantes e emulsificante mais utilizados na fabricação dos sorvetes são: a goma-guar, alginato de sódio, carragena, carboximetilcelulose, diglicerídeos e monoestearato de sorbitana. […]

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA *

Veja Também

A frutose é realmente uma vilã? Entenda o que é frutose, suas características, aplicações e seus malefícios à saúde!

A Frutose, também conhecida por levulose ou açúcar das frutas, possui alto poder adoçante …