Foto por: Alice Henneman
O funcho é uma erva super conhecida pela maioria das pessoas. Pega fácil, podendo ser encontrada até em terrenos abandonados. Dependendo da região, o funcho pode ser conhecido por anis, anis-doce ou erva-doce. Seus benefícios podem ser sentidos principalmente entre as mulheres e bebês, que mais sofrem com cólicas.

A maior característica do funcho é seu aroma e sabor agradável. O funcho teve uma grande demanda durante a idade média, onde era utilizado apenas como condimento. E, somente na America, foi introduzido ao funcho seu uso medicinal. Os principal ativo encontrado no funcho é o seu óleo essencial, composto por transanetol, fencono, limoneno, anetol, ácido cafeico, methil cavicol, terpene, cânfora e a-pineno; Além disso, também é possível encontrar os flavonóides e  pequenas quantidades de vitamina A, vitamina B6, ácido fólico, niacina, riboflavina, tiamina, cobre, ferro, cálcio, magnésio, manganês, zinco e selénio. Para se beneficiar das propriedades do funcho, o chá de funcho deve ser preparado com suas folhas ainda frescas.

Entre as propriedades do funcho, é interessante citar seu uso medicinal contra venenos encontrados em plantas, cogumelos e como antidoto de mordidas de cobras venenosas. Seu uso também é indicado para auxiliar no tratamento da gastroenterite, indigestão e para estimular o fluxo do leite materno. Nas mulheres, se tomado o chá de funcho durante alguns meses, ele pode ajudar a regularizar o ciclo menstrualreduzir as dores menstruais e o inchaço. De modo geral, o chá de funho também pode ajudar a melhorar sintomas de má digestão e inflamação crônica, graças ao ácido cafeico e málico. Já o anetol presente no planta, ajuda no alivio de cólicas e flatulências. Quem está com tosse, garganta inflamada e/ou catarro, pode utilizar a tisana de funcho para aliviar a tosse. Os flavonoides, com ação antioxidante, podem auxiliar na diminuição do colesterol.

Embora possua vários benefícios, o funcho é contraindicado para pessoas com úlcera duodenal e refluxo. Grávidas também não devem consumir o funcho, pelo risco de aborto que pode ser causado por sua ação emenagogo.

Referências

– Ademir Barbosa Júnior (2005). Guia Prática de Plantas Medicinais. Universo dos Livros Editora.
– BALBACH, A. As Plantas Curam. São Paulo
– FRUTUOSO, V. Plantas e Ervas Medicinais. São Paulo
– http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2013/11/nutricionista-apresenta-beneficios-da-erva-doce.html

Cláudio P. Filla | Laboratory Technician UTP-PR | Químico, escreve sobre o efeito positivo dos alimentos naturais através de suas propriedades e os perigos por trás dos alimentos industrializados. Mas gosta mesmo é de compartilhar alternativas para uma vida mais saudável. Curitibano, ama um pé na terra e outro no mar, mas também a rotina cultural da cidade grande.
Carregar Mais
Carregar Mais Plantas & Ervas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA *

Veja Também

Tarumã (Vitex megapotamica): propriedades fitoquímicas do popular depurativo de sangue, podendo combater o ácido úrico e a hipertensão arterial.

O Tarumã (Vitex megapotamica), também conhecido como erva-tarumã, azeitona-do-mato ou azei…