O confrei, de nome científico Symphytum Officinale,  é uma planta exótica, que foi muito utilizada na década de 70 com a fama de ser a “erva que cura tudo“. Porém, o confrei, possui várias substâncias químicas, extremamente tóxicas, que causam doenças hepáticas, como o câncer no fígado, e levam até a morte.

Dependendo da região, o confrei pode ser conhecido por confrey, consólida, consólida-do-cáucaso, consolda, consolda-maior, consolda-menor, capim-roxo-da-rússia, erva-do-cardeal, língua-de-vaca, orelha-de-vaca, orelha-de-asno e orelha-de-burro.

confrei

O confrei é composto por substâncias químicas de alta toxidade. Seu uso interno, em forma de infusão, não é recomendado. Seus alcalóides pirrolizidínicos, presentes na planta, são hepatotóxicos e carcinogênicos. O confrei possui propriedades medicinais apenas se usado externamente, com fins dermatológicos. Os principais ativos encontrados no confrei são: simpetina,  ácidos orgânicos, triterpeno, esteroides , colina, consolidina e alantoína. A alantoína ajuda na formação de tecido epitelial, protege o tecido ferido, promovendo a formação de células saudáveis que curam ferimentos externos. A pomada composta por confrei é indicada para o tratamento de feridas, inflamações, artrite e artrose, recuperação de fraturas, auxilia na cicatrização, entre outros problemas dermatológicos.

Seu uso é contraindicado internamente em qualquer hipótese. Externamente, o uso do confrei é contraindicado na gravidez, na lactação, para crianças menores, em portadores de doenças hepáticas, renais e tumorais, devido a um possível efeito mutagênico presente na planta que pode ser absorvido através da pele, principalmente se estiver lesada. Antes de iniciar o uso de qualquer composto, que inclua o confrei, deve ser anteriormente consultado um especialista para indicação do produto, não devendo ser utilizado sem orientação/recomendação médica.

Referências

– ALONSO, J.R. Tratado de Fitomedicina – Bases Clínicas y Farmacológicas. Argentina: Indugraf, 1998.
– TESKE, M.; TRENTINI, A.M. M. Herbarium – Compêndio de Fitoterapia. 3ª ed. Curitiba: Ingra, 1997.
–  LORENZI, H.; MATOS, F.I. Plantas medicinais no Brasil – nativas e exóticas. São Paulo: Instituto Plantarum de estudos da flora LTDA, 2002.
– CASTRO, L.O.; CHEMALE, V.M. Plantas medicinais – Condimentares e Aromáticas. Guaíba: Agropecuária LTDA, 1995.

Cláudio P. Filla | Laboratory Technician UTP-PR | Químico, escreve sobre o efeito positivo dos alimentos naturais através de suas propriedades e os perigos por trás dos alimentos industrializados. Mas gosta mesmo é de compartilhar alternativas para uma vida mais saudável. Curitibano, ama um pé na terra e outro no mar, mas também a rotina cultural da cidade grande.
Carregar Mais
Carregar Mais Plantas & Ervas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA *

Veja Também

Tarumã (Vitex megapotamica): propriedades fitoquímicas do popular depurativo de sangue, podendo combater o ácido úrico e a hipertensão arterial.

O Tarumã (Vitex megapotamica), também conhecido como erva-tarumã, azeitona-do-mato ou azei…