Fora ser um vilão de dietas, o verdadeiro perigo do cachorro-quente é o seu principal ingrediente. Algumas pessoas acham que se apenas se comer crua a salsicha faz mal, mas cuidado! Até após ser cozida ela ainda pode causar malefícios, devido aos seus ingredientes. Muitas pessoas não acham que existe problema em comer salsichas, seja em pratos principais ou lanches, e também oferecer a crianças com litros de refrigerantes.

Muitos pais dão salsichas e/ou cachorro-quente como prêmios por bom desempenho ou coo forma rápida de alimentação. As crianças são imensamente influenciáveis pela exposição cada vez maior ao marketing de imagem positiva de “produtos alimentícios” industrializados, como a salsicha, que acabam se viciam nesses produtos, sabendo ou não dos malefícios que a salsicha possui se consumida em excesso, podendo fazer muito mal a saúde.

Faz mal comer salsicha crua ou cozida?

Na verdade, o verdadeiro perigo das salsichas é o seu processamento na indústria, já que a salsicha é feita com diversos tipos de carnes e restos não usados de animais. Normalmente são as sobras como as bochechas e as vísceras de bovinos e suínos e em seguida adiciona-se uma série de substâncias químicas para dar ao produto seu sabor característico, dar “liga”, conservar, corar, aromatizar, etc, para finalmente dar ao produto a forma de salsicha

Quais são os ingredientes de uma salsicha?

Em resumo, a composição básica da maioria das salsichas contém: carne mecanicamente separada de ave (pele, fígado, rins e coração), carne suína, gordura de ave, água, proteína texturizada de soja, amido, sal, açúcar, alho. Estabilizante tripolifosfato de sódio, aroma de fumaça, glutamato monossódico, conservante nitrito de sódio e nitrato de sódio, antioxidante eritorbato de sódio, corantes urucum e carmim de cochonilha

Do que é feita a salsicha?

Na produção das salsichas, a carne processada é uma maneira encontrada para reaproveitar a carne que seria jogada fora, sendo adicionada a pele de porco cozida que deixa a mistura macia, o coração, que da cor à massa,  proteína de soja e amido (fécula de mandioca), que da “liga” a pasta de carne processada e  o tripolifosfato de sódio – um coadjuvante do sal que ajuda a manter a gordura misturada à massa.

Outros conservantes como os nitritos e nitratos de sódio, também são adicionados às salsichas, e a diversos tipo de alimentos embutidos, tendo como principal função manter a cor na carne e a inibir o crescimento da bactéria Clostridium Botulinum, o glutamato monossódico e por fim o corante carmim de cochonilha (INS 120). 

O maior problema dos aditivos químicos adicionados, são seus malefícios a longo prazo quando consumidos em excesso. A carne processada, por exemplo, é pobre em nutrientes, o tripolifosfato de sódio é rico em sódio, os nitritos e nitratos possuem grande grau cancerígeno devido a formação de NITROSAMINAS e o glutamato monossódico também é rico em sódio, é viciante e pode causar danos ao figado. 

Portanto, assim como a maioria dos alimentos industrializados, não é um alimento saudável e é consumido sem nenhuma moderação. Estamos vivendo um momento no qual as taxas de obesidade, câncer e outras doenças degenerativas nunca estiveram tão altas e em idades cada vez mais precoces. O consumo de salsichas, embutidos e outros alimentos industrializados, não é nocivo a saúde somente quando ingeridos moderadamente!

Atenção!

O artigo tem como propósito alertar somente os malefícios que o consumo excessivo de produtos industrializados, com alto teor de conservantes, podem trazer a saúde e como são preparados. Afinal, quem não adora um cachorro-quente em um final de semana? E misturar condimentos para deixar ainda mais gostoso?

Referências

– http://super.abril.com.br/ciencia/contem-besouros-plastico-cimentofungos-bacterias-e-bombas
– Embutidos, Frios e Defumados, Sylvio Cesar Rocco, Textonovo, 1996

Load More Related Articles