Popularmente conhecida por intestino preso e prisão de ventre, a constipação intestinal é um distúrbio bem comum que atinge entre 15% a 30% da população mundial. Entre as causas mais comuns da prisão de ventre, podemos citar como responsáveis uma a dieta como baixa ingestão de fibra e líquidos, o sedentarismo, além do consumo excessivo de proteína animal e de alimentos industrializados. Contudo, visto que a prisão de ventre é um sintoma e não uma doença, o principal tratamento para o problema é feito a partir da correção de hábitos na dieta e no estilo de vida. Ou seja, é recomendado uma ingestão maior de fibras, líquidos e alimentos funcionais com propriedades laxativos. Além disso, pode ser aplicado com cautela a ingestão de chá com efeito laxante, como por exemplo a infusão de cáscara sagrada ou ainda o chá de espinheira-santa e de murta.


Diabetes

Uso de laxantes para o tratamento de prisão de ventre

É bem comum a prescrição de laxantes para auxiliar no tratamento da constipação intestinal, principalmente em crianças, jovens, idosos e mulheres na menopausa. Mas, é importante não abusar de substâncias laxativas. A ação dos laxantes estimulam de modo artificial o intestino grosso, mas sua ação depende da absorção dos nutrientes e água. Ou seja, se ingerido constantemente, os laxantes podem estimular uma elevada perda de água do organismo, o que pode conduzir a uma desnutrição grave. 

Ingestão de Cáscara Sagrada no tratamento da prisão de ventre

Evidências científicas apontam que a Cáscara Sagrada deve e pode ser prescrita como laxante natural. Mas somente nos casos em que realmente há impossibilidade de evacuação mesmo adotando mudanças no estilo de vida e na alimentação. Ela age como um laxante natural devido a presença de compostos catárticos e purgantes que fazem contrações no cólon e aumento dos movimentos peristálticos, facilitando a eliminação das fezes. Além de atuar como laxante, a planta também pode atuar como diurético, emenagogo, estimulante estomacal, tônico e colagogo, assim como o sabugueiro.

Mecanismo de ação e compostos ativos

Entre os principais ativos que compõe a planta, podemos citar a aldemodina-ranol, a aloe-emodina, as aloínas, as barbaloínas, os cascarosídeos A, B, C e D, emodina, além de heterosídeos antraquinônicos. Os compostos antracênicos dão a Cáscara Sagrada sua propriedades colagoga e laxante natural, atuando com eficiência na limpeza e desintoxicação do colón.

Por outro lado, substâncias como a barbaloína e crisaloína, estimulam e aumento o peristaltismo no cólon, auxiliando na eliminação do bolo fecal. Entretanto, sua ação laxativa se manifesta a partir de 6 horas após ser ingerido de forma mais suave que outros laxantes, como o lacto purga, por exemplo.

Como devo tomar o chá de Cáscara Sagrada?

A recomendação diária sugerida é de 50mg a 600mg ao dia, divididos em até 3 doses diárias, não devendo ultrapassar uma semana contínua. Se for usar a planta seca para preparar seu chá, não deve ultrapassar 1g por dia. Para preparar o chá, você pode utilizar uma colher de sopa da planta seca, que não ultrapasse 1g, para 1 litro de água. Ferva por 5 minutos e tome o chá no máximo até 3 vezes ao dia após esfriar.

Toxidade e contraindicação da Cáscara Sagrada

Por fim, quem opta em fazer o uso da planta como um laxante natural para o tratamento da prisão de ventre, deve ficar atento para possíveis reações. Em primeiro lugar, seu uso não deve ser prolongado, muito menos ingerido em altas doses. Ou seja, seu uso contínuo não deve ultrapassar uma semana, nem ingerir mais que 1g ao dia da cáscara sagrada seca quando aplicado em chás. Além disso, seu uso é contraindicado na gravidez, lactação e para menores de 6 anos.
Foto por: Wikipédia

Referências

DrauzioVarella: Prisão de ventre.
– Cáscara Sagrada (Rhamnus purshiana): Uma Revisão de Literatura.
BVS: Evidências ciêntificas envolvendo a Rhamnus purshiana.
Iberoquimica: Eficácia e estudos seguros com Cáscara sagrada.
– BALBACH, A. As Plantas curam: Cáscara Sagrada

Carregar mais
Load More In Plantas & Ervas

Veja também

Conhece os benefícios do Óleo de Borragem?

A Borragem, de nome científico Borago officinalis L, é uma planta nativa do Mediterrâneo e…