A lavanda – Lavandula Officinalis – popularmente conhecida por alfazema, lavanda de jardim ou lavanda comum, pertence a família das Lamiaceaes, e é uma das plantas de maior tradição da antiguidade por sua característica aromática e anti-séptica. Na medicina natural, os principais benefícios da lavanda são em casos de insônia e ansiedade, por ser uma planta com propriedade ansiolítica leve. Se usada em conjunto com o alecrim, pode amenizar sintomas de depressão leve a moderada, acalmando a hiperatividade nervosa, dores de cabeça ligadas ao stress e enxaquecas.


Produção de Derivados Lácteos
[dfads params=’groups=1686&limit=1&orderby=random’]

Benefícios da Lavanda

Os ativos químicos que compõe a lavanda são os  óleos essenciais compostos por geraniol, furfurol, lavandulol, linalil acetato, cetato de lavandulina, linaol, limoneno, cariofileno, cadineno, alfa e beta-pineno, princípios amargos, cumarina, taninos, aldeídos, cetonas, ácido ursólico, fitosteróis e flavonóides (luteolina). O óleo essencial de lavanda possui um aroma doce, sua composição resulta em um óleo com propriedades sedativas, além de ser relaxante e anti-stress, quando inalado, graças as substâncias linalol e linalil acetato, sendo efetivo em casos de insônia, em mulheres com depressão, além de possuir ação anti-inflamatória e analgésica. As demais substâncias da lavanda possuem propriedade anti-séptica, anti-espasmódica, carminativa, cicatrizante, digestiva, hipotensor, diurética, colagogo, desodorante, refrescante, purificante e repelente de insetos. Assim a lavanda pode ser indicada em casos de abscessos, acne, amenorreia, artrite, contusão, depressão, dermatites, desmaio, dispepsia flatulenta, doença respiratória (asma, bronquite, catarro, gripe), eczemas, enjoo, enxaqueca, epilepsia, feridas, fígado, fraqueza cardíaca, gota, inapetência, problemas menstruais, pressão alta, problemas circulatórios, psoríase, queimadura e sinusite.

Contraindicações

O uso da lavanda e do óleo essencial da lavanda deve ser evitado por mulheres grávidas e lactantes, pessoas com úlceras gastro-duodenais, alergias aos compostos da lavanda e hematúrias. É importante evitar o uso prolongado da lavanda. O uso excessivo provoca a irritação das mucosas, podendo levar a sedação e neuro toxicidade grave.
Foto por: Maja Dumat

Referências

– Plantas aromáticas e medicinais – cultivo e utilização” – Paulo Guilherme Ferreira Ribeiro e Rui Cépil Diniz. Londrina. IAPAR, 2008.
– Tratado de fitomedicina – bases clínicas e farmacológicas” Dr. Jorge R. Alonso – editora Isis . 1998. Buenos Aires – Argentina.
– Artigo científico – Propriedades dos óleos essenciais de lavanda, hortelã pimenta. http://siaibib01.univali.br/pdf/Amanda%20Neuwirth%20e%20Ana%20Chaves.pdf

Carregar mais
Load More In Plantas & Ervas

Veja também

Cáscara Sagrada: muito utilizada como laxante natural para o tratamento da constipação intestinal.

Popularmente conhecida por intestino preso e prisão de ventre, a constipação intestinal é …